Busca:

Etiqueta Arquivos: tsunami no japão

Ações da Mundial, sobem 24%


As ações da Mundial, marca mais conhecida pelos alicates e tesouras, registraram forte alta ontem na Bovespa depois que a empresa, fundada na década de 30, divulgou que fará um desdobramento dos papéis. Cada uma das suas ações passará a valer por quatro.

Lançadas em 1966, quando a companhia ainda se chamava Zivi, as ações da Mundial estão entre as “vovós” da Bovespa, os papéis mais antigos negociados na bolsa. As ações ordinárias da companhia subiram 24,3% na quarta-feira, para R$ 1,79, enquanto as ações preferenciais avançaram 11,5% e fecharam a R$ 2,13.

Mais

Bovespa em dia positivo no exterior


Os ativos locais voltavam a se valorizar nesta terça-feira, em linha com o tom positivo no exterior amparado por notícias de fusões e aquisições. Na Bovespa, as ações da Vale respondiam pelo maior volume, após a indicação na véspera de Murilo Ferreira para comandar a mineradora.

Embora ainda haja alguma preocupação com o grau de influência do governo na condução da mineradora, a indicação foi recebida de forma positiva pelo mercado. As ações preferenciais da Vale subiam 0,21 por cento, enquanto as ordinárias ganhavam 0,46 por cento.

Mais

Mercado financeiro nacional não será prejudicado pela crise no Japão


A Bolsa de Tóquio encerrou o pregão de sexta-feira com queda de 0,48%. Na semana, o resultado foi de ganho líquido de 1,8%, mas no acumulado do ano as perdas atingem 6,8%.

O índice Nikkei 225, da Bolsa de Tóquio, reflete como a economia do país se comporta e quais são suas expectativas quanto à recuperação. E mesmo com queda acumulada no ano, durante a semana houveram várias altas diárias.

Mais

Bovespa cresce 1,3% na contramão dos mercados internacionais


As ações da Petrobras e de empresas do setor financeiro puxaram a recuperação da Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) nesta terça-feira, mais uma vez na contramão dos mercados externos.

foto_productos

As Bolsas americanas e européias encerraram o expediente de hoje no campo negativo. Nessas praças financeiras, a crise na Líbia e o risco nuclear no Japão perderam boa parte de seu impacto inicial. Analistas chamam a atenção para o fato de que a própria Bolsa de Tóquio tem valorizado nos últimos pregões, após ter desabado quase 20% em dois dias.

Bovespa cai 0,3% hoje após pequena melhoria


As Bolsas de Valores dos três continentes se valorizaram ontem, com um cenário relativamente mais tranqüilo no complexo de Fukushima, e reagindo sem maior nervosismo aos desdobramentos recentes da crise na Líbia.

clip_image002

Na Ásia, o mercado de Hong Kong subiu 1,72%, seguido pelo fechamento positivo nos mercados europeus – em que as ações tiveram alta de 1,18% em Londres- e nos Estados Unidos, onde o índice mundialmente influente Dow Jones ascendeu 1,50%.

Mais

Panorama no Japão ainda afeta as bolsas do mundo


O Japão seguia sob os holofotes dos mercados financeiros nesta quarta-feira, com as bolsas de valores ocidentais em queda por preocupações com o impacto dos desastres no país asiático sobre a economia mundial.

clip_image002

Investidores aceleraram as vendas de ações nos mercados americanos e europeus depois que o chefe de energia da União Europeia (UE), Guenther Oettinger, alertou para uma catástrofe em uma usina nuclear japonesa nas próximas horas.

No entanto, a porta-voz de Oettinger afirmou que ele não tinha informações específicas ou privilegiadas sobre a situação.

Mais

Como a tragédia no Japão afeta o Bovespa


A Usiminas afirmou que ainda é muito cedo para avaliar se o terremoto de 8,9 graus na escala Richter, ocorrido sexta-feira no Japão, levará ao aumento das vendas para aquele país. Rumores de mercado logo após o desastre davam conta de que a siderúrgica mineira se beneficiaria com o crescimento de negociações de aço com o Japão, pois foram registrados danos em estruturas de cinco siderúrgicas japonesas.

clip_image002

Estes rumores provocaram uma disparada das ações da siderúrgica no pregão de sexta-feira da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

Os papéis ON tiveram alta de 6,97%, e fecharam o dia a R$ 28,80. Já os papéis PNA tiveram alta de 4,66%, e fecharam a R$ 21,08. Além da tragédia no Japão, há especulações de que um acordo travou o controle acionário da companhia até 2013.

Mais

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil