Busca:

LinkedIn perto dos US$ 274 milhões na bolsa


A rede social LinkedIn, dedicada a conectar as pessoas segundo seus perfis profissionais, fixou seu preço no lançamento na bolsa entre US$ 32 e US$ 35 por ação, em uma Oferta Pública de Venda de Ações (OPV) com a qual procura arrecadar cerca de US$ 274,4 milhões.

clip_image002

Segundo os documentos apresentados nesta segunda-feira na Comissão da Bolsa de Valores dos Estados Unidos (SEC, da sigla em inglês), a rede que conecta 100 milhões de pessoas em cerca de 200 países de todo o mundo planeja lançar 7,84 milhões de suas ações, em uma estréia que pode chegar na próxima semana.

O preço fixado para sua chegada no pregão nova-iorquino, onde começará a cotar com o símbolo de "LNKD", supõe avaliar toda a companhia em mais de US$ 3 bilhões, longe dos US$ 65 bilhões da rede social Facebook, com mais de 500 milhões de usuários em todo o mundo.

O anúncio do lançamento da rede social ocorre pouco depois da bem-sucedida estréia do Renren, o chamado "Facebook chinês", na Bolsa de Nova York, em 4 de maio, quando disparou 28,64% em seu primeiro dia de cotação

Azaleia fecha fábrica no RS e demite 800 trabalhadores

A Azaleia fechou sua fábrica no município gaúcho de Parobé (79 km de Porto Alegre) e demitiu cerca de 800 funcionários. A medida foi confirmada em nota divulgada pela empresa na tarde desta segunda-feira. A justificativa para o fechamento da fábrica foi a concorrência cada vez maior com os calçados importados. Trata-se, ainda segundo a empresa, de uma medida necessária por questões de competitividade. O comunicado prevê uma redução de 8.000 pares de calçados por dia pela empresa, que produz cerca de 250 mil pares diários.

"Reduzir empregos é sempre uma medida penosa, porém necessária. Na atual conjuntura econômica brasileira os setores intensivos em mão de obra (entre eles a indústria de calçados) têm sido obrigados a realizar ajustes em função de vários fatores adversos que já foram extensivamente diagnosticados, mas que seguem intocados pela política econômica e, incompreensivelmente, com perspectivas cada vez mais claras de consolidação", diz a nota da empresa.

A Azaleia, que mantinha sua fábrica em Parobé há 50 anos, afirma que manterá os benefícios de cesta de alimentos, assistência médica e creche pelo período de três meses para os funcionários desligados. Serão mantidas na unidade as diretorias de Marketing e Desenvolvimento de Produtos, de Tecnologia, de Planejamento e as áreas de suprimentos, logística e recursos humanos. A empresa tem cerca de 44 mil funcionários.

Post Relacionados

Sem comentários

RSS de comentários. TrackBack URI

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil