Busca:

Formação de reversão de tendência – Ombro-Cabeça-Ombro – Parte 1


O ombro-cabeça-ombro é talvez a mais conhecida e mais importante formação de reversão de tendência.

Brasil

Sua importância é acrescida pelo fato de outras formações de reversão serem dela derivada, como por exemplo, os topos triplos que veremos a seguir.

Vejamos então como se caracteriza tal formação assim como suas principais nuances: o ombro-cabeça- ombro (O-C-O) se situa em um contexto onde uma tendência altista tende a perder momento, se neutraliza por certo tempo e finalmente se torna baixista. Vejamos então este esquema onde tal situação está descrita.

Exemplo – Ombro-Cabeça-Ombro

image image image A tendência altista segue indicada pela linha –A-. A quebra desta no ponto –1- indica um enfraquecimento da citada tendência. O “Pull-Back” posterior da linha –A- no ponto –O2- forma o segundo ombro da formação de ombros e cabeça (O-C-O). O rompimento da linha de pescoço (-3-) indica a reversão da tendência de alta. Temos assim caracterizada a formação O-C-O onde a primeira alta (O1) representa o ombro esquerdo, a segunda alta (C) a cabeça e a terceira alta (O2) o ombro direito. A linha que une os fundos –2- e –4- é conhecida como linha de pescoço. Essa linha tem normalmente uma pequena inclinação positiva apesar de poder ser horizontal ou mesmo com inclinação negativa. Finalmente, a penetração de tal linha pelos preços desde que acompanhada por um aumento no volume vem a caracterizar o O-C-O como uma formação de reversão, dando início a uma tendência de baixa. Muitas vezes as cotações tendem a voltar aos níveis da linha de pescoço onde, após encontrarem resistência, tornam a cair. Tal movimento é conhecido como “pullback”. O “pull-back” nem sempre ocorre, enquanto em outros casos pode não chegar à linha de pescoço. A análise do volume certamente ajudará a determinar o tamanho do “pull- back”. Assim, se a quebra da linha de pescoço vier acompanhada de alto volume, a probabilidade de ocorrer um “pull-back” diminui, uma vez que isto representa um aumento de pressão vendedora. Por outro lado, se a quebra da linha de pescoço vier acompanhada de um volume não tão grande, aumentam as chances de ocorrer um “pull-back”. Em qualquer dos casos este deve ser acompanhado de baixo volume. Exemplo – O-C-O Invertido image LEIA A PARTE II

Post Relacionados

2 Comentários

RSS de comentários. TrackBack URI

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil