Busca:

Entenda as Ondas de Elliot


Entender os movimentos de alta e baixa do mercado. E mais do que isso, antever estes movimentos é o objetivo a que se propõe a Teoria de Elliot. Uma das mais conhecidas ferramentas de análise gráfica, ela foi criada e desenvolvida pelo contador R.N. Elliot, nas décadas de 30 e 40.images (7)

A teoria foi criada para o acompanhamento de índices, como o Dow Jones ou o Ibovespa, por exemplo. Embora possa ser utilizada para observar ações isoladas, ela é mais recomendada na avaliação de índices, pois tenta apreender o sentimento geral do mercado.

De acordo com a teoria desenvolvida por Elliot, os movimentos do mercado seguem um padrão. Realizando estudos em cima das séries históricas de preços do índice Dow Jones Industrial, Elliot concluiu que havia uma regularidade no movimento dos mercados em geral. Para ele, o fator principal deste padrão é determinado pela psicologia das massas, um comportamento que se repete em cenários distintos.

De acordo com os estudiosos modernos, a tendência do mercado antecede os fatos. Ou seja, se estivermos diante de uma fase favorável, um acontecimento negativo pode ter seu impacto minimizado. Os fatos perseguem a tendência, os eventos não provocam as evoluções do mercado. A notícia é jornal de ontem e a análise gráfica está de olho na tendência futura.

As ondas de Elliot são formadas por dois conjuntos: o primeiro é composto por cinco ondas. É o chamado período de alta: são três altas intercaladas por duas baixas. Nesta fase as ondas são indicadas por números. O segundo é formado por três ondas.

É o período de correção, composto de duas quedas intercaladas por um repique, denominadas por letras do alfabeto. Este conjunto forma os ciclos de alta e baixa na bolsa que se reproduzem permanentemente. Veja o exemplo abaixo:

clip_image002

Esta teoria pode ser aplicada em gráficos diários, mensais e anuais. O analista técnico Jayme Ghitnick traça um paralelo entre o modelo proposto por Elliot, desenvolvido nas décadas de 30 e 40, e a Teoria do Caos, que busca no aparente acaso uma ordem intrínseca determinada por leis precisas.

Exemplos de aplicações são o quebrar das ondas do mar, o crescimento populacional e a flutuação do mercado financeiro. “A Teoria do Caos aplica hoje através dos fractais a idéia de que um mesmo formato se reproduz permanentemente”, defende Ghitnick.

Fractais são formas geométricas, de aspecto irregular ou fragmentado, que podem ser subdivididas indefinidamente em partes, as quais, de certo modo, são cópias reduzidas do todo.

Post Relacionados

1 Comentário

RSS de comentários. TrackBack URI

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil